ARTESANATO

Artes e ofícios: a tradição e o moderno

ARTE DO COCO

A arte do coco foi desenvolvida na lha de Matemo e, embora já não seja praticada lá, espalhou-se como forma de arte por todo Moçambique. Vários itens são criados com cascas de coco moldadas e polidas à mão. No Ibo, este tipo de arte foi desenvolvido pelo Sr. Assane Sumaila, um artesão que mora numa casa conhecida como a “Casa das Conchas”. Um dos quartos da Casa das Conchas foi transformado em loja, aberta aos turistas durante o ano todo. Os preços variam dependendo do tamanho e complexidade do produto, de 10 MZN, quanto custa um botão, a 500 MZN, o preço de uma tartaruga. O Sr. Sumaila aceita encomendas e, dependendo da complexidade da mesma, é possível que ele leve apenas algumas horas a concluir.

ARTE MAKONDE

A arte Makonde chegou a Ibo através de um grupo de seis Makondes que vieram para a ilha com a Fundação Aga Khan. Em 2009, decidiram instalar-se aqui, criando uma associação dedicada a esta forma de arte, situada na antiga fortaleza portuguesa, no Bairro Cimento. A prática envolve esculpir madeira de ébano usando serras, machados, pedras e cinzéis para criar jóias e trabalhos de arte Makonde. Demora entre duas semanas a um mês para criar cada peça. O preço varia de 150 MZN a 5.000 MZN. A loja está aberta todo o ano.

 

ARTE FLORAL

A arte floral teve origem no Brasil e chegou ao Ibo por meio da Fundação Aga Khan, a qual trouxe duas brasileiras nas ilhas para ensinar essa técnica às mulheres locais. Em 2005, com os primeiros lucros, o grupo Nadjumulia conseguiu comprar uma casa, hoje conhecida como “Casa das Floristas”, onde trabalha utilizando esta técnica a tempo inteiro.

É possível visitar a casa e vê-las, a trabalhar, aprender sobre as técnicas utilizadas e comprar as suas criações. Para itens personalizados, é necessária uma hora ou duas. Os preços variam entre 150 MZN e 250 MZN.

 

OURIVESARIA

A ourivesaria tem raízes na Índia, especificamente em Goa, e chegou ao Ibo directamente de lá, já que o Ibo foi o lar de muitas famílias indianas. Foi inicialmente praticada por particulares, até 1970, quando o então Administrador do Ibo reconheceu o seu valor como artesanato e meio de sustento, comprou as ferramentas e a prata necessárias para cada artesão, e assim começou o comércio de jóias do Ibo. O Administrador foi embora, mas os artesãos continuam, até hoje, a produzir ourivesaria através de 2 associações: a Associação Tupendane, composta por 25 membros, localizada na Fortaleza, e a Ourivesaria Moderna, localizada no distrito de Rituto. A confecção de

uma jóia pode demorar entre 5 dias a uma semana, e o preço varia de 200 MZN a 25.000 MZN. As associações estão abertas para quem quiser comprar alguma coisa e os clientes podem ver o processo de criação e produção, todos os dias, das 7h às 15h.

 

ARTE COM MATERIAIS RECICLADOS

A arte com materiais reciclados foi levada até a Ilha Quirimba pela associação AMA que ofereceu oportunidades de formação a voluntários, proporcionando intercâmbios culturais entre Quirimba, Pemba, Montepuez e o Ibo. Quando, em 2013, os 7 voluntários começaram a trabalhar, fundaram também a associação Tikuikuta. A oficina encontra-se no bairro Kuminazi, na Ilha Quirimba, na casa de Selemane Malique. Os preços variam de 50 MZN a 300 MZN

 

 

LOJA DE ARTESANATO SAAKATA

A Saakata é uma loja de artesanato do Ibo que vende produtos feitos por homens e mulheres da zona, e oferece lindas roupas feitas de capulanas, chaveiros e jóias feitas com materiais reciclados. Também cosem roupa, por medida, mas a encomenda deve ser feita com alguma antecedência. Dentro da loja, há um pequeno café com um lindo jardim e uma belíssima vista para o mar, onde é possível saborear o café do Ibo ou um saboroso sorvete. Visite a página do Facebook